quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

As escolhas do ano

Este ano que estás prestes a terminar foi bastante bom em termos de leituras.
Ao criar com a Spi do Delícias à Lareira o desafio "Viagens à Lareira" fiquei com algum receio de me sentir obrigada a ler para completar as categorias, mas participar revelou-se uma forma óptima de seleccionar as leituras futuras. Possibilitou-me também variar de géneros e abater parte da pilha dos livros por ler na estante.
Atrevi-me a ler autores ainda desconhecidos, como Yasmina Khadra e Stephen King, e não me arrependi. Lancei-me, até, a géneros literários diferentes. Com "Dune", de Frank Herbert, experimentei ficção científica e "Eu Sou a Lenda", de Richard Matheson possibilitou-me uma boa entrada em algo menos fantástico e mais horror. Voltei a interessar-me por policial e thriller desde "O Hipnotista", de Lars Kepler, que me lançou para o page turner de 2015, "Em Parte Incerta", de Gillian Flynn.
A nível da fantasia tenho que destacar os dois livros de Neil Gaiman, "O Oceano no Fim do Caminho", e de "The Spindler and The Sleeper", que muito apreciei. "A Máquina de Escrever Encantada", de John Kendrick Bangs também fez um bom trabalho. Foi uma leitura um pouco obscura, mas muito interessante. Consegui também ler os segundos volumes de trilogias de fantasia, "O Mago - Mestre", de Raymond E. Feist, e "Luz e Sombras", de Anne Bishop, e fiquei com vontade de apostar mais neste género para o próximo ano.
Estranhamente, não li tantos romances históricos como é costume, mas "As Filhas do Graal", nesse ponto fizeram um bom papel, destronando "Madre Paula", de Patricia Muller. Tive pena de mais uma vez Michelle Lovric não me convencer. Acho que li "O Remédio" para não voltar a adquirir livros da autora tão depressa.
Por outro lado, reencontrei-me com Gabriel García Márquez e Marion Zimmer Bradley com gosto. Preferi doze vezes os contos de "Doze Contos Peregrinos" ao "A Herdeira", mas gostei de reler algo dos escritores.
Para além de bons livros também lidei com desilusões e a típica categoria do "podia ser melhor". "Em Nome da Memória", de Anne Brashares está no final desta classificação, acompanhado por "Firmin", de Sam Savage, uma ratazana apaixonada por literatura e actrizes giras (e humanas) que não me convenceu como esperava. De qualquer forma, o Prémio Desilusão seguiria para "A Desumanização", de Valter Hugo Mãe, ou para "O Sétimo Véu", de Rosa Lobato de Faria. 

Voltemos a focar-nos no que de melhor 2015 me ofereceu em termos de leituras, com a selecção dos livros que mais se destacaram:


O melhor de um autor que apenas conheci este ano


"O" page turner de 2015.
O melhor de um autor preferido


Melhores personagens
Estilo de escrita que se destacou
O melhor "worldbuilding"  







A "menção honrosa" de 2015 

E o vosso ano, como foi? Boas leituras!

10 comentários:

  1. Olá Su,

    Por acaso é verdade, fugiste bastante dos romances históricos. Eu também me apercebi que não li policiais. Estamos a alargar os horizontes, sem dúvida! Tens uns quantos na lista que eu já li e também gostei. Yasmina é muito bom, tenho a certeza que vais continuar a gostar do seu trabalho.

    Já reparaste que as desilusões do ano são precisamente os livros do clube de leitura?Ou começamos a sugerir outro tipo de autores ou estamos fadadas a pegar em livros nhé todos os meses. Espero que com o Mário Zambujal a maré mude...

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Spi,
      Tens razão :D estamos a melhorar. Para o ano temos de continuar a sair da zona de conforto. Quero continuar a lê-lo, parece-me muito bem.
      É tão triste serem os do clube... Também espero. Que triste, estarmos sempre a repetir a dose... :C
      Estou desejosa de começar os nossos desafios. "Para o ano" apresento-os no blogue também hehe

      beijinhos

      Eliminar
  2. Oi Su!
    Vim espreitar as tuas análises deste ano que finda não tarda.
    "Os Anjos morrem das nossas feridas" consta na minha lista. Há muita expectativa quanto a ele.
    Não gostaste de «Desumanização» de Valter Hugo Mãe? Adoro a obra do autor e esse livro em particular...
    Foi a tua primeira leitura de VHM? Lê «O Filho de Mil Homens». Deixo essa sugestão p/ um autor que merece segundas oportunidades ;)
    Boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Denise,
      Espero que gostes do "Os Anjos Morrem das Nossas Feridas". Dá que pensar como as nossas escolhas por impulso encaminham a nossa vida.
      Não sei se li "A Desumanização" na altura errada ou se foi uma má escolha como primeira leitura do autor. Nem consegui aproveitar o estilo de escrita dele. Foi mesmo uma má experiência. Obrigada pela tua sugestão :D quero mesmo dar-lhe outra oportunidade.

      beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
  3. Olá Su, só grandes leituras, pelo que vejo.
    Que o teu novo ano seja excelente.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Nuno,

      Sim, foi mesmo um ano bom. Obrigada! Um bom ano novo, cheio de boas leituras!
      beijinhos

      Eliminar
  4. Olá Su,
    Boas leituras!
    Um excelente 2016.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Tita,
      Obrigada :D um bom ano novo!

      beijinho

      Eliminar
  5. Viva,

    Bem um ano repleto de grandes leituras e em vários géneros bom sinal e fico contente que tenhas gostado do Yasmina é um grande escritor quanto a mim.

    Que 2016 seja igual ou mesmo melhor :D

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saudações,
      Sim, o facto de ter conseguido diversificar os géneros foi uma vitória para mim. Espero que continue assim este ano. Este nao quero ler pelo menos mais um livro dele.

      Igualmente, Fiacha :D
      bjs

      Eliminar